domingo, 3 de outubro de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de outubro de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC Oeste / Associação Apontador de Estrelas)



O mês de outubro chegou com várias oportunidades de observação do céu. Neste mês podemos acompanhar uma bela conjunção vespertina, planetas, passagens brilhantes da ISS, entre outros. Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários:

Calendário lunar:


A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 1° e 3, e depois nos dias 30 e 31. Ao anoitecer, entre os dias 9 e 11. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos primeiros dias do mês, até o dia 4, e depois, entre 9 e 18 e entre 23 e 31 de outubro. Nesses períodos, as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.

Conjunções são aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Conjunção vespertina 

No anoitecer do dia 9 de outubro, a oeste, acontecerá uma conjunção significativa envolvendo a Lua, Vênus e a estrela Antares. A imagem abaixo mostra o céu neste dia. Antares é a estrela mais brilhante da constelação de Escorpião. Aproveite para reconhecer esta constelação no céu.

Fonte: Stellarium, 2021.

No dia 21 de outubro, teremos uma conjunção entre a Lua e Urano. Será um desafio observar o planeta, pois seu brilho é baixo e a Lua estará quase que totalmente iluminada. Com um telescópio ou binóculo pode-se fazer uma tentativa de observar o planeta.

Planetas

Mercúrio terá sua visibilidade prejudicada, devido a sua conjunção com o Sol, no dia 9.

Vênus será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude – 4,3. No dia 9, estará em conjunção com a Lua (cerca de 3°) e Antares (cerca de 7°).

Marte terá sua visibilidade prejudicada, devido sua conjunção com o Sol, no dia 8.

Júpiter estará visível até o começo da madrugada, com magnitude – 2,5. No começo da noite, basta olhar para o alto para identificá-lo, pois é um objeto bastante brilhante. Nos dias 14 e 15, estará próximo da Lua.

Saturno estará visível até o começo da madrugada, com magnitude +0,6. No começo da noite, basta olhar para o alto para identificá-lo. Estará cerca de 15° a oeste de Júpiter. Nos dias 13 e 14, estará próximo da Lua.

Urano poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta após às 21 horas, no horizonte leste, com magnitude +5,7. No dia 21, estará em conjunção com a Lua (cerca de 1°). 

Netuno poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta, até às 3 horas da madrugada. Estará cerca de 30° à leste de Júpiter, com magnitude +7,8. No dia 17, estará a cerca de 5° da Lua. Como tem brilho bastante baixo, sugere-se buscar sua posição exata através de uma carta celeste, usando estrelas de referência para a confirmação de sua localização, observação e registro.


Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.


Referências

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XII – número 10 – Outubro de 2021. Disponível em: https://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 26/09/2021. 

Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Outubro 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-outubro-2021.html. Acesso em: 26/09/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 27/09/2021.

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de setembro de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC Oeste / Associação Apontador de Estrelas)


O mês de setembro chegou com várias oportunidades de observação do céu. Neste mês podemos acompanhar várias conjunções vespertinas, os planetas, passagens da ISS, a formação do X e V Lunares, entre outros. Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários: 


Calendário lunar de setembro:


A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 2 e 4. Ao anoitecer, entre os dias 10 e 12. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos primeiros dias do mês e depois nos períodos entre 10 e 18 e entre 24 e 30 de setembro. Nesse período as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.

Formação do X e V Lunares 

Na noite de 13 de setembro, teremos a formação do X e V lunares, quando condições especiais de iluminação no topo de algumas crateras lunares permitem a identificação destas letras no relevo lunar. De acordo com o Anuário Astronômico Catarinense, o X Lunar "Trata-se do início da iluminação do topo das paredes das crateras Purbach, La Caille e Blanchinus". É uma condição muito especial de iluminação, que dura apenas algumas horas e não é visível em todos os meses. O próprio Anuário indicou apenas seis datas esse ano, como "melhor ocasião para a visualização". Esta, do mês de setembro, é a quinta e penúltima ocorrência neste ano.

Já o V Lunar é uma condição especial de iluminação da cratera Ukert, junto com várias crateras menores. Alguns meses, as horas ideais para observação do X e V lunares acontece de dia, o que dificulta a observação e registro, ou com a Lua abaixo do horizonte, o que impede sua observação e registro.

Em 23 de outubro do ano passado, fizemos a observação e registro deste fenômeno. Um passeio pela Lua daquela noite encontra-se disponível em vídeo no canal de Youtube da Associação Apontador de Estrelas (https://www.youtube.com/watch?v=Xk6HMrDgYSM).

Conjunções vespertinas em setembro

Conjunções são aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Nos dias 8 e 9 de setembro ocorrerá uma conjunção envolvendo a Lua, Mercúrio, Vênus e a estrela Spica, ao anoitecer, a oeste. No dia 7 de setembro é possível observar um fino crescente lunar mergulhado nas luzes do crepúsculo. Trata-se da Lua Jovem. O observador deve dispor de um horizonte totalmente livre de obstáculos para tentar detectar a Lua Jovem iluminada em apenas 1,1% numa altura de 5 graus. Um binóculo pode ser de grande ajuda para a ocasião.

Planetas

Mercúrio será visível brevemente ao entardecer, no horizonte oeste, com magnitude +0,2. No dia 8, estará a cerca de 6° da Lua. 

Vênus será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude – 4,1. No dia 9, estará a cerca de 5° da Lua.

Marte terá sua visibilidade prejudicada ao longo deste mês e do próximo, devido sua conjunção com o Sol, no dia 8 de outubro.

Júpiter será visível toda a noite até às 4 horas, com magnitude – 2,8. No começo da noite, basta olhar acima do horizonte leste para identificá-lo, pois é um objeto bastante brilhante. No dia 17, estará a cerca de 6° da Lua.

Saturno será visível toda a noite até às 3 horas, com magnitude +0,4. Ao anoitecer, estará um pouco mais alto do que Júpiter. No dia 16, estará a cerca de 4° da Lua.

Urano poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta após às 23 horas, no horizonte leste, com magnitude +5,7. No dia 23, estará a cerca de 6° da Lua. 

Netuno poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta, durante toda a noite. Ao anoitecer, estará no horizonte leste, com magnitude +7,8. No dia 24, estará a cerca de 3° da Lua. Como tem brilho bastante baixo, sugere-se buscar sua posição exata através de uma carta celeste, usando estrelas de referência para a confirmação de sua localização, observação e registro.


Fonte: Stellarium, 2021.


Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.


Referências 

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XII – número 9 – setembro de 2021. Disponível em: https://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 26/08/2021. 

Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Julho 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-setembro-2021.html. Acesso em: 26/08/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 27/08/2021.


quarta-feira, 4 de agosto de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de agosto de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC Oeste / Associação Apontador de Estrelas)


O mês de agosto chegou com várias oportunidades de observação do céu. Neste mês podemos acompanhar planetas, a Lua, conjunções e passagens brilhantes da ISS. Durante a segunda quinzena do mês é possível observar ao mesmo tempo os cinco planetas mais brilhantes ao anoitecer. Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários:

 


Calendário lunar:


 A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 3 e 5. Ao anoitecer, entre os dias 11 e 13. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos períodos entre 1° e 6, entre 11 e 19 e entre 25 e 31 de agosto. Nesse período as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.


Conjunções são aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Conjunções em agosto

No período de agosto até setembro ocorre a maior aparição vespertina do planeta Mercúrio. Ao longo da segunda quinzena do mês o planeta é visível logo após o pôr do sol e se envolve em uma conjunção com Marte. Por volta da meia noite do dia 19 de agosto a separação mínima entre os dois planetas é de 0,1° e no anoitecer do dia 18 de agosto é possível visualizar esses dois planetas separados por apenas 0,25°. 

Recomenda-se que o observador disponha de um horizonte oeste livre de obstáculos e que esteja munido de pelo menos um binóculo a fim de visualizar esses planetas nas luzes do crepúsculo. Essa aparição vespertina de Mercúrio permite que durante a segunda quinzena de agosto todos os cinco planetas mais brilhantes sejam visíveis simultaneamente ao anoitecer.

Crescente perto do perigeu e Minguante de apogeu

Estamos na época da ocorrência dessa combinação. A fase lunar do Quarto Minguante ocorre a poucas horas depois do instante do apogeu. É uma excelente oportunidade para observar a diferença no tamanho da Lua. O perigeu acontece quase dois dias após o instante do Quarto Crescente que, por sua vez, se dá em 15 de agosto, por isso recomenda-se que o observador fotografe a Lua Crescente no anoitecer desta mesma data. Já a melhor ocasião para fotografar a Lua Minguante de apogeu é no amanhecer do dia 30 de agosto, pois o instante do Quarto Minguante ocorre cerca de 5 horas depois do instante do apogeu.


Planetas

Mercúrio será visível brevemente ao entardecer, no horizonte oeste, durante a segunda quinzena do mês, com magnitude -0,3. 

Vênus será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude – 4. No dia 11, estará a cerca de 6° da Lua.

Marte será visível brevemente ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude +1,8. No dia 9, estará a cerca de 5° da Lua.

Júpiter será visível toda a noite até às 5 horas, com magnitude – 2,9. No começo do mês, surge no horizonte leste por volta das 19 horas e dia a dia aparecerá mais cedo. No dia 22, estará a cerca de 3° da Lua.

Saturno será visível toda a noite até às 5 horas, com magnitude +0,2. Ao anoitecer, estará visível no horizonte leste. No dia 20, estará a cerca de 3° da Lua.

Urano poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta após às 2 horas, no horizonte leste, com magnitude +5,8. No dia 28, estará a cerca de 2° da Lua. 

Netuno poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta, após às 21 horas, no horizonte leste, com magnitude +7,8. No dia 24, estará a cerca de 3° da Lua. Como tem brilho bastante baixo, sugere-se buscar sua posição exata através de uma carta celeste, usando estrelas de referência para a confirmação de sua localização, observação e registro.

Fonte: Stellarium, 2021


Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.

Referências 

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XII – número 8 – agosto de 2021. Disponível em: https://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 26/07/2021. 

Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Julho 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-agosto-2021.html. Acesso em: 26/07/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 27/07/2021.


quarta-feira, 7 de julho de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de julho de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC Oeste / Associação Apontador de Estrelas)



O mês de julho chegou com várias oportunidades de estudar do céu. Neste mês teremos o afélio da Terra e poderemos observar conjunções, passagens brilhantes da ISS, planetas, entre outros. Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários:


 
Calendário lunar de julho:


A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 4 e 7. Ao anoitecer, entre os dias 13 e 15. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos períodos entre 1° e 7, entre 14 e 22 e entre 27 e 31 de julho. Nesse período as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.


Conjunções: aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Conjunções em julho 

Durante o mês de julho as conjunções vespertinas ficam por conta dos planetas Vênus e Marte. Entre os dias 11 e 14 é interessante observar a conjunção entre esses dois planetas, com a participação da Lua no dia 12 de julho. Na última semana de julho os dois planetas se encontram com a estrela Regulus. 


Afélio da Terra

Na segunda-feira, dia 5 de julho de 2021, a Terra se encontra no ponto mais afastado de sua órbita em torno do Sol. Às 19h e 27min a Terra situa-se a 152,1 milhões de km do astro.


Planetas

Mercúrio será visível brevemente ao amanhecer, no horizonte leste, durante a primeira quinzena do mês, com magnitude +0,2. No dia 8, estará a cerca de 5° da Lua. 

Vênus será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude – 3,9. No dia 12, estará a cerca de 7° da Lua, formando uma conjunção com Marte.

Marte será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude +1,8. No dia 12, estará a cerca de 6° da Lua, formando uma conjunção com Vênus.

Júpiter será visível após às 21h30min, no horizonte leste, com magnitude – 2,7. Na noite de 25 para 26 de julho, estará a menos de 4° da Lua.

Saturno será visível após às 20 horas, no horizonte leste, com magnitude +0,3. No dia 24, estará a cerca de 5° da Lua.

Urano poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta após às 3 horas, no horizonte leste, com magnitude +5,8. No dia 31, estará a cerca de 8° da Lua. 

Netuno poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta, após às 23 horas, no horizonte leste, com magnitude +7,8. Como tem brilho bastante baixo, sugere-se buscar sua posição exata através de uma carta celeste, usando estrelas de referência para a confirmação de sua localização, observação e registro.

Terra, Chapecó, 27 de julho de 2021, 01h00m.

Fonte: Stellarium, 2021.

Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.

Referências 

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XII – número 7 – julho de 2021. Disponível em: http://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 25/06/2021. 

Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Julho 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-julho-2021.html. Acesso em: 25/06/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 27/06/2021.

quarta-feira, 2 de junho de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de junho de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC Oeste / Associação Apontador de Estrelas)


O mês de junho chegou e com ele muitas oportunidades de observação do céu! Neste mês podemos visualizar novamente uma ocultação de lambda Sagitarii pela Lua (assim como fizemos em abril), passagens brilhantes da ISS, a Lua, vários planetas, entre outros. Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários:

 
Calendário lunar de junho:

A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 5 e 7. Ao anoitecer, entre os dias 14 e 16. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos períodos entre 1° e 7, entre 14 e 23, e entre 27 e 30 de junho. Nesse período as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.

Ocultações: fenômenos em que ocorre o desaparecimento de um astro pela interposição de outro de diâmetro aparente superior, durante o seu movimento relativo. As ocultações dos astros dependem diretamente das coordenadas específicas do observador. Mesmo no caso das ocultações lunares é comum determinada região ser contemplada pela ocultação de um objeto, enquanto demais regiões em latitudes ao norte ou ao sul visualizem apenas uma conjunção entre a Lua e o mesmíssimo astro. Chama-se imersão ao instante do desaparecimento, e emersão ao reaparecimento do astro interceptado.

Conjunções: aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Conjunções em junho 

Neste mês teremos algumas conjunções interessantes para observar ao entardecer, próximo do horizonte oeste. No dia 12, a Lua e Vênus estarão próximas entre si. E no dia 13, a aproximação será entre a Lua e Marte.

Mais tarde, a partir das 23 horas, teremos aproximações ao leste entre a Lua e os planetas Saturno, no dia 26, e Júpiter, no dia 28.

Nova ocultação de lambda Sagitarii (Kaus Borealis) pela Lua

Em 24 de junho teremos novamente uma ocultação da estrela lambda Sagitarii (Kaus Borealis) pela Lua, assim como observamos e registramos na noite de 30 de abril. Nosso registro está no canal de Youtube da Associação Apontador de Estrelas (https://www.youtube.com/watch?v=vaw9tbfPNGg&t=1434s).

Neste mês, a imersão (desaparecimento da estrela) ocorre por volta de 19h05min e a emersão (reaparecimento) às 19h45min, no horizonte leste. A estrela lambda Sagitarii terá magnitude de 2,8, brilho que favorece sua visibilidade. É uma ocultação rasante e de pequena duração, que ocorrerá durante noite de Lua Cheia. Fenômeno muito interessante de acompanhar com um binóculo ou pequeno telescópio.

Aqui estão duas imagens feitas no dia 30 de abril de 2021, por Daniel Iunes Raimann, durante transmissão ao vivo do fenômeno. A primeira é de alguns minutos antes da imersão e a segunda depois da emersão.




Planetas

Mercúrio será visível brevemente ao amanhecer, na última semana do mês, no horizonte leste, com magnitude +1,5. 

Vênus será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude – 3,9. No dia 12, estará a cerca de 6° da Lua.

Marte será visível ao anoitecer, no horizonte oeste, com magnitude +1,8. No dia 13, estará a cerca de 3° da Lua.

Júpiter será visível após às 23 horas, no horizonte leste, com magnitude – 2,5. No dia 28, estará a cerca de 5° a Lua.

Saturno será visível após às 22 horas, no horizonte leste, com magnitude +0,5. No dia 26, estará a cerca de 4° da Lua.

Urano poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta ao amanhecer, no horizonte leste, com magnitude +5,8. 

Netuno poderá ser observado com o uso de binóculo ou luneta, durante a madrugada, com magnitude +7,9. Como tem brilho bastante baixo, sugere-se buscar sua posição exata através de uma carta celeste, usando estrelas de referência para a confirmação de sua localização, observação e registro.

Fonte: Stellarium, 2021.


Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.
Referências 

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XII – número 6 – junho de 2021. Disponível em: https://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 25/05/2021. 
 
Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Junho 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-junho-2021.html. Acesso em: 25/05/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 28/05/2021.

terça-feira, 4 de maio de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de maio de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC Oeste / Associação Apontador de Estrelas)



O mês de maio chegou e com ele mais oportunidades de observarmos o céu! Neste mês podemos visualizar conjunções, passagens brilhantes da ISS, planetas, a formação do X e V Lunares, entre outros. Também comemoramos neste mês o Dia de Mourão - 25 de maio (Ronaldo Rogério de Freitas Mourão – importante astrônomo brasileiro). Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários:


Calendário lunar de maio:


A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 6 e 8. Ao anoitecer, entre os dias 15 e 17. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos períodos entre 1° e 8, entre 15 e 24, e entre 29 e 31 de maio. Nesses períodos, as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.

Formação do X e V Lunares 

Na noite de 18 de maio, teremos a formação do X e V lunares, quando condições especiais de iluminação no topo de algumas crateras lunares permitem a identificação destas letras no relevo lunar. De acordo com o Anuário Astronômico Catarinense, o X Lunar "Trata-se do início da iluminação do topo das paredes das crateras Purbach, La Caille e Blanchinus". É uma condição muito especial de iluminação, que dura apenas algumas horas e não é visível em todos os meses. O próprio Anuário indicou apenas seis datas esse ano, como "melhor ocasião para a visualização". Esta do mês de maio, é a terceira ocorrência neste ano.

Já o V Lunar é uma condição especial de iluminação da cratera Ukert, junto com várias crateras menores. Alguns meses, as horas ideais para observação do X e V lunares acontece de dia, o que dificulta a observação e registro, ou com a Lua abaixo do horizonte, o que impede sua observação e registro.

Em 23 de outubro do ano passado, fizemos a observação e registro deste fenômeno. Um breve passeio pela Lua daquela noite encontra-se disponível em vídeo no canal de Youtube da Associação Apontador de Estrelas (https://www.youtube.com/watch?v=Xk6HMrDgYSM).

X e V Lunares (Chapecó, 23/10/2020) - Créditos: Daniel Iunes Raimann

Conjunções vespertinas

Conjunções são aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Neste mês teremos Mercúrio e Vênus disponíveis para a visualização logo após o pôr do Sol. No dia 12, a Lua estará em conjunção com Vênus e, no dia 13, em conjunção com Mercúrio. Os astros estarão próximo ao horizonte oeste, assim que o Sol se por. É importante ressaltar que nestes dias a Lua estará com a iluminação muito baixa, visto que a Lua nova será no dia 11 de maio.

Ainda, vale destacar que a observação pode ser prejudicada pela proximidade dos astros em relação ao Sol. Assim, para visualizar essas conjunções é importante ter um horizonte oeste livre de obstáculos e, de preferência, ter um binóculo em mãos. A menor separação entre Vênus e Mercúrio se dá nos dias 28 e 29 de maio. Nesses dias o desafio será detectar Mercúrio, que brilhará na 2° magnitude, obrigando o uso de binóculo para visualizar a conjunção logo após o pôr do Sol. 

Fonte: Stellarium (2021)

Eclipse lunar total de perigeu 

Na manhã do dia 26 de maio ocorrerá um eclipse lunar total com a Lua em perigeu. Infelizmente o evento não será visível em Santa Catarina pois a etapa penumbral inicial ocorre com a Lua se pondo em nosso horizonte. 

Planetas

Mercúrio será visível brevemente ao anoitecer, próximo ao horizonte oeste, com magnitude +0,3. No dia 13, estará à pouco menos de 1° da Lua.

Vênus será visível brevemente ao anoitecer, próximo ao horizonte oeste, com magnitude – 3,0. No dia 12, estará à pouco mais de 1° da Lua. 

Marte será visível ao anoitecer, a cerca de 50° do horizonte oeste, com magnitude +1,6. Nos dias 15 e 16, a Lua estará próxima a Marte.

Júpiter será visível durante a madrugada, surgindo por volta das 2h, no horizonte leste, com magnitude -2,3. No dia 4, a Lua estará próxima a Júpiter.

Saturno será visível durante a madrugada, surgindo por volta da 1h, no horizonte leste, com magnitude +0,6. Nos dias 3 e 31, a Lua estará próxima a Saturno.

Urano terá ainda neste mês sua visibilidade prejudicada, devido a sua conjunção com o Sol que ocorreu no dia 30 de abril. 

Netuno será visível durante a madrugada, surgindo por volta das 3h no horizonte leste, com magnitude +7,9. Como o brilho de Netuno é bastante fraco, é necessário o uso de binóculo ou luneta para sua observação.

Fonte: Stellarium (2021)


Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.

Referências 

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XII – número 5 – maio de 2021. Disponível em: https://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 26/04/2021. 

Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Maio 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-maio-2021.html. Acesso em: 26/04/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 28/04/2021.

sexta-feira, 2 de abril de 2021

O que observar no céu de Chapecó no mês de abril de 2021

Texto elaborado por Savana Noro Brandani e Guilherme Grigolo Kielb (UDESC Oeste)

Revisado por Daniel Iunes Raimann (UDESC/Apontador de Estrelas)

Mais um mês se inicia e com ele novas oportunidades para observar o céu. Neste início de outono teremos algumas conjunções entre a Lua e planetas, ocultações de estrelas pela Lua, passagens brilhantes da ISS, dentre outros eventos. Desejamos boas observações e céus limpos a todos e todas!

As fases principais da Lua ocorrerão nas seguintes datas e horários:


Calendário lunar de abril:

A luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua proveniente da parte iluminada do planeta Terra) será visível ao amanhecer entre os dias 7 e 9. Ao anoitecer, entre os dias 16 e 18. As melhores condições de observação da Lua ocorrem nos períodos entre 1° e 9 e entre 16 e 24 de abril. Nesse período as condições de iluminação do nosso satélite favorecem o contraste e sombras para a visualização de detalhes de crateras e montanhas. A partir de um simples binóculo é possível observar muitas características do solo lunar, detalhes de crateras e planícies tornam-se evidentes.

Conjunções e ocultações 

Ocultações: fenômenos em que ocorre o desaparecimento de um astro pela interposição de outro de diâmetro aparente superior, durante o seu movimento relativo. A ocultações dos astros dependem diretamente das coordenadas específicas do observador. Mesmo no caso das ocultações lunares é comum determinada região ser contemplada pela ocultação de um objeto, enquanto demais regiões em latitudes ao norte ou ao sul visualizem apenas uma conjunção entre a Lua e o mesmíssimo astro. Chama-se imersão ao instante do desaparecimento, e emersão ao reaparecimento do astro interceptado.

Conjunções: aproximações aparentes entre dois ou mais astros. Tal fenômeno depende da localização do observador na Terra.

Ocultação de lambda Sagitarii pela Lua

Na noite de 30 de abril, Lua ocultará a estrela lambda Sagitarii cuja magnitude será de 2,8, brilho que favorece sua visibilidade. A imersão ocorre por volta de 22h42min e a emersão às 23h9min. É uma ocultação rasante e de pequena duração, próximo ao terminador (fronteira entre as regiões iluminada e escura da Lua), com imersão na região iluminada e emersão na região escura. Fenômeno muito interessante de acompanhar com um binóculo ou pequeno telescópio.

Conjunções entre a Lua e planetas

Neste mês teremos conjunções ao amanhecer entre a Lua e o planeta Saturno, no dia 6, e entre a Lua e Júpiter, no dia 7. Ambas poderão ser vistas no horizonte leste, a partir das 4 horas até o céu tornar-se muito claro para se observar os planetas. Além destas conjunções, no anoitecer dos dias 16 e 17, a Lua estará próxima do planeta Marte, próximo do horizonte noroeste. A máxima aproximação aparente entre Lua e Marte ocorrerá durante a manhã do dia 17.  

Fonte: Stellarium, 2021.

Planetas

Mercúrio terá sua visibilidade prejudicada, devido a sua conjunção com o Sol que ocorre no dia 18. 

Vênus terá sua visibilidade prejudicada, devido a sua conjunção com o Sol que ocorreu no dia 26 de março.

Marte será visível ao anoitecer, com magnitude +1,4. Nos dias 16 e 17, ao anoitecer, estará a cerca de 5° da Lua.

Júpiter será visível brevemente ao amanhecer, com magnitude – 2,1, próximo ao horizonte leste. No dia 7, estará em conjunção com a Lua.

Saturno será visível brevemente ao amanhecer, com magnitude +0,7, próximo ao horizonte leste. No dia 6, estará em conjunção com a Lua.

Urano terá sua visibilidade prejudicada, devido a sua conjunção com o Sol que ocorre no dia 30. 

Netuno terá sua visibilidade prejudicada, devido a sua conjunção com o Sol que ocorreu no dia 10 de março.

Observando o céu a olho nu

Para facilitar a localização dos astros dispostos no céu, podemos utilizar a mão para orientar a angulação e encontrar os corpos celestes. Esticando o braço, podemos encontrar a angulação desejada como na imagem a seguir:


Passagens brilhantes da ISS

A Estação Espacial Internacional, conhecida como ISS (International Space Station), é a maior estrutura já montada no espaço pelo homem. A ISS possui 109 metros de largura, 73 metros de comprimento, 20 metros de altura e uma massa de 450 mil quilos. A plataforma está orbitando a uma altura aproximada de 400 km da superfície terrestre, com uma velocidade de aproximadamente 28.000 km/h, o que lhe confere um período de translação ao redor da Terra de 90 minutos (1,5 hora). Produto do esforço de 15 países, a ISS é um moderno laboratório para observação da Terra e realização de experimentos em ambiente de baixa gravidade e que pode ser observada a olho nu.

Referências 

AMORIM, Alexandre. Anuário Astronômico Catarinense 2021. 1.ed. Florianópolis: Edição do autor, 2020. 192p.

Observe! Boletim informativo do NEOA – JBS, ano XI – número 4 – abril de 2021. Disponível em: https://www.geocities.ws/costeira1/neoa/observe.pdf. Acesso em: 26/03/2021. 

Vercalendario.info: Mês Do Calendário Lunar Abril 2021. Disponível em: https://www.vercalendario.info/pt/lua/brasil-mes-abril-2021.html. Acesso em: 26/03/2021.

PEAT, C. ISS - Estação Espacial Internacional - Passagens visíveis. Disponível em: https://www.heavens-above.com/PassSummary.aspx?satid=25544&lat=-27.0922&lng=-52.6167&loc=Distrito+Sede+de+Chapec%c3%b3&alt=0&tz=EBST. Acesso em 28/03/2021.