domingo, 30 de junho de 2019

Eclipse solar no dia 2 de julho, próxima terça-feira

O segundo eclipse solar deste ano acontecerá na próxima terça-feira, dia 2 de julho. Diferentemente do primeiro eclipse solar, que não foi visível a partir do Brasil, este poderá ser observado como um eclipse solar parcial em Chapecó e região. O Espaço Astronomia UDESC Oeste e a Associação Apontador de Estrelas estarão com seus telescópios apontados para o eclipse parcial do Sol, mostrando e explicando este belo e raro fenômeno aos que lá estiverem. O evento acontecerá no prolongamento da Avenida Getúlio Vargas, cerca de 500m acima do Shopping, das 16h50min às 17h40min.

Os eclipses solares ocorrem quando a Lua nova se coloca entre a Terra e o Sol, produzindo uma sombra de cerca de 250 km de diâmetro que se desloca rapidamente sobre a superfície da Terra. Portanto um eclipse solar total só é visível, se o clima permitir, em uma estreita faixa sobre a Terra, chamada de caminho do eclipse. Em uma região de aproximadamente 3000 km de cada lado do caminho do eclipse, ocorre um eclipse parcial. 

Se o disco inteiro do Sol está atrás da Lua, o eclipse é total. Caso contrário, é parcial. Se a Lua está próxima de seu apogeu (ponto mais distante de sua órbita), o diâmetro da Lua é menor que o do Sol, e ocorre um eclipse anular.

No Brasil e, em especial em Chapecó, veremos um eclipse parcial do Sol. Para a cidade de Chapecó veremos o fenômeno até que a Lua cubra cerca de 63% do disco solar, pois o restante do evento ocorrerá com o Sol abaixo da linha do horizonte. Fenômeno deste tipo foi visto na nossa região pela última vez em fevereiro de 2017 e teremos uma nova oportunidade em dezembro de 2020.

No próximo dia 2, terça-feira, o disco da Lua começará a entrar na frente do disco do Sol por volta das 16h50min. O ponto máximo do eclipse será às 17h50min. O disco da Lua sairá totalmente da frente do disco do Sol por volta das 18h50min. Entretanto, o pôr do Sol ocorre por volta das 17h40min. Ou seja, não veremos a metade final do eclipse.

Preparem-se para ver esse belo fenômeno! Num eclipse parcial do Sol não temos o escurecimento do Sol que teríamos se fosse um eclipse total. Desta forma, muitas pessoas podem nem perceber que um fenômeno raro está em andamento. Entretanto, nunca olhe para o Sol diretamente sem uma proteção para os olhos. Um vidro de máscara de solda número 12 ou 14 é uma boa alternativa. Não use óculos escuros, papel laminado, filmes antigos de fotografia ou chapas de raios X, pois esses materiais não filtram as radiações nocivas aos nossos olhos.

Nunca olhe o Sol diretamente através de um binóculo ou telescópio. É necessário usar um filtro especial para utilizar esses instrumentos. Caso não possua o filtro solar para instrumentos óticos, uma alternativa é fazer uma observação indireta, através da projeção da imagem em um anteparo.

Para maiores informações ou entrar em contato acesse os blogs apontadordeestrelas.blogspot.com.br e espacoastronomiaudesc.blogspot.com.br ou ainda a Associação Apontador de Estrelas no Facebook e Instagram.


Fotos da observação do Eclipse Solar Parcial de fevereiro de 2017 - Chapecó






domingo, 19 de agosto de 2018

Curso Astronomia e Astronáutica para a comunidade 2018 - TURMA DE CHAPECÓ

Estão abertas as inscrições para o curso de extensão Astronomia e Astronáutica para a comunidade 2018 - TURMA CHAPECÓ, para pessoas interessadas em conhecer essas ciências, que procuram explicar o céu, o espaço e as tecnologias empregadas nessas áreas.

É um curso gratuito, presencial, aberto a todas pessoas da comunidade e certificado pela UDESC. Terá carga horária de 30 horas-aula, sendo efetivadas através de encontros semanais, às segundas-feiras a noite (das 18h30min às 20h30min), de setembro a dezembro.

As aulas serão realizadas nos prédios da UDESC do centro (rua Sete de Setembro, entre as avenidas Nereu Ramos e Getúlio Vargas, ao lado da Caixa Econômica Federal) e do bairro Santo Antônio (Rua Beloni Trombeta Zanin 680E). O curso inicia no dia 10 de setembro, com aula no prédio da UDESC do centro.

Serão abordados os temas sistema solar, estrelas, galáxias, universo, exploração do espaço, programa espacial brasileiro, satélites, plataformas espaciais, veículos lançadores de satélites, sensoriamento remoto e meteorologia. Também serão realizadas atividades práticas, como a observação do céu com o telescópio, sessões de planetário e a construção de foguetes didáticos.

As inscrições devem ser realizadas até o dia 3 de setembro, através do formulário eletrônico no endereço   https://goo.gl/forms/jb1DOvXSjURcIzLT2.


O curso já está em sua décima edição, sempre divulgando a astronomia e astronáutica na região oeste de Santa Catarina. É uma parceria entre o Espaço Astronomia UDESC Oeste (espacoastronomiaudesc.blogspot.com.br), projeto do Campus Oeste da UDESC, e a Associação Apontador de Estrelas (apontadordeestrelas.blogspot.com.br).






quarta-feira, 25 de julho de 2018

Eclipse total da Lua na próxima sexta-feira, dia 27 de julho de 2018

Na próxima sexta-feira, dia 27 de julho, acontecerá o segundo eclipse lunar total deste ano. E toda a população brasileira poderá visualizar a olho nu este belo fenômeno da natureza. Apesar de ser o eclipse lunar de maior duração deste século, veremos somente o estágio final da totalidade. Em Chapecó, a Lua nascerá cerca de quarenta minutos depois do instante do meio do eclipse. O primeiro eclipse lunar total deste ano, ocorrido em 31 de janeiro, não pode ser visto no Brasil.

Eclipses lunares ocorrem na Lua cheia, quando a Terra se coloca entre o Sol e a Lua iluminada. O eclipse lunar é total quando a Lua penetra inteiramente no cone de sombra da Terra. Mas o cone de sombra é concentricamente circundado pelo cone de penumbra. Assim, um eclipse lunar envolve um período de tempo em que a Lua está na penumbra e outro em que ela está na sombra. A fase mais interessante do fenômeno acontece quando a Lua está parcial ou totalmente dentro do cone de sombra, visto que o obscurecimento da Lua pela penumbra é praticamente imperceptível. A Lua totalmente eclipsada assume diferentes tons laranja-avermelhados, devido ao espalhamento da luz solar, que atravessa a atmosfera terrestre.

O auge deste eclipse ocorrerá às 17h21min (horário de Brasília) do dia 27, mas desde a entrada da Lua no cone de sombra até sua saída completa serão transcorridas quase quatro horas. A Lua entrará no cone de sombra às 15h24min. O começo da totalidade, quando a Lua estará inteira dentro do cone de sombra, dar-se-á às 16h30min. O fim da totalidade será às 18h13min e às 19h19min a Lua sairá totalmente do cone de sombra. Em Chapecó, a Lua cheia aparecerá no horizonte leste por volta das 18h e poderemos observar os estágios finais (final da totalidade e saída total do cone de sombra) do fenômeno.

A observação do eclipse poderá ser realizada sem nenhum instrumento especial, ou seja, a olho nu. Contudo, a utilização de binóculos ou pequenos telescópios e lunetas podem trazer detalhes especiais do fenômeno, impossíveis de serem admirados a olho nu.

Como a Lua nascerá eclipsada, é importante que se observe o fenômeno de um local alto e com o horizonte leste desimpedido. Quanto mais tarde se observar a Lua, menos tempo do fenômeno será observado.

Outro detalhe é que a Lua estará com seu brilho bastante reduzido durante a totalidade. Aliado ao fato de que estará baixa no horizonte, pode ser que tenhamos dificuldade de perceber a Lua no momento em que ela aparece no horizonte. O planeta Marte, que nasce a leste alguns minutos antes da Lua e terá brilho significativo, pode ser tomado como referência para se encontrar a Lua eclipsada. Para quem estiver de frente para o leste, a Lua estará um pouco abaixo e a esquerda de Marte. 

Portanto, preparem-se para um belo espetáculo na próxima sexta-feira. Vamos torcer para que tenhamos um céu limpo. O próximo eclipse lunar total visível a partir de Chapecó acontecerá somente em 21 de janeiro de 2019.

Daniel Iunes Raimann
Professor de Física da UDESC, coordenador do Projeto de Extensão “Espaço Astronomia UDESC Oeste” e Presidente da Associação Apontador de Estrelas.

Imagens - Eclipse Total da Lua 15/04/2014 (Daniel Iunes Raimann)







sábado, 30 de junho de 2018

Palestra Possibilidades do lúdico no Ensino de Astronomia

A UDESC Oeste, através de seu programa de extensão Ciência Viva UDESC Oeste, e a Associação Apontador de Estrelas promoverão a palestra Possibilidades do lúdico no Ensino de Astronomia, com a pedagoga e mestranda Gleici Kelly de Lima, da UNESP/Bauru, no dia 17 de julho de 2018.

O objetivo desta palestra é aproximar professores e estudantes de licenciatura do ensino fundamental e médio da região oeste de Santa Catarina da área de Educação em Astronomia e discutir possibilidades de utilização de atividades lúdicas no ensino de Astronomia da educação básica. 

O público-alvo são os professores do ensino fundamental ou médio e alunos de licenciatura das áreas de pedagogia, ciências, geografia, física e ou matemática, ou qualquer professor que seja responsável pelo ensino dos conteúdos de astronomia nas escolas.

A palestrante, Gleici Kelly de Lima, é graduada em Pedagogia pelo Instituto Federal Catarinense, Campus Videira, e especialista em Metodologia do Ensino de Matemática e Física pelo Centro Universitário Internacional, UNINTER. Atuou junto ao Observatório Astronômico Municipal Domingos Forlin, de Videira, de 2015 a 2018, no desenvolvimento de projetos e atendimento ao público. Atualmente é mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência da UNESP/Bauru, participante do Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências e monitora do Observatório Didático Astronômico Lionel José Andriatto, em Bauru.

A palestra será realizada no dia 17 de julho, às 19 horas, no Auditório do campus da UDESC do centro de Chapecó, prédio onde funciona o curso de Enfermagem, na rua Sete de Setembro 91 D, ao lado da Caixa Econômica Federal.

Será emitido certificado de participação de 2 horas pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC Oeste).

A inscrição deverá ser realizada até o dia 15 de julho através do link https://goo.gl/forms/OB8PTd4JQYa4JWux1.




domingo, 20 de maio de 2018

Dia de Mourão 2018 - Noite de observação do céu com o telescópio no calçadão de Chapecó no dia 24 de maio

Ronaldo Rogério de Freitas Mourão nasceu no Rio de Janeiro, no dia 25 de maio de 1935 e foi um astrônomo brasileiro que revolucionou a forma de fazer divulgação científica e de popularizar a Astronomia no Brasil.

Foi fundador do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST), na cidade do Rio de Janeiro, pesquisador e sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IGHB). Também foi fundador, em 30 de junho de 1976, do CARJ - Clube de astronomia do Rio de Janeiro, que funciona até hoje, o qual frequentou enquanto a saúde permitiu.

Com o objetivo de homenagear este que foi um dos maiores divulgadores da Astronomia no Brasil, diversos grupos de astrônomos realizarão atividades de divulgação científica no dia do nascimento de Ronaldo Mourão. Este dia passa a ser conhecido então como Dia de Mourão.

Para relembrar Ronaldo Mourão, a Associação Apontador de Estrelas e o Espaço Astronomia estarão montando seus telescópios no calçadão ao lado da Havan, na próxima quinta-feira, dia 24 de maio, das 19 às 22 horas, data próxima ao Dia de Mourão. Pretendemos observar a Lua e os planetas Vênus e Júpiter.

Todos são convidados!


quarta-feira, 18 de abril de 2018

Mês Global da Astronomia 2018 - Observação do céu no calçadão de Chapecó

Na próxima terça-feira, dia 24 de abril, das 18 às 22 horas, no calçadão ao lado da Havan, em Chapecó, o Espaço Astronomia UDESC Oeste e a Associação Apontador de Estrelas estarão montando seus telescópios para observação do céu. Serão visualizados a Lua e o planeta Júpiter.

Essa atividade integra o Mês Global da Astronomia 2018, evento mundial que tem como objetivo divulgar essa linda ciência.

Todos são convidados! Ajudem-nos a divulgar!

Se estiver chovendo ou nublado a atividade será cancelada.




domingo, 10 de setembro de 2017

Astronomia - O que ver no céu de Chapecó em Setembro

O que ver no céu de Chapecó” tem o objetivo de se tornar um periódico de informações de astronomia observacional básica, sendo produzido pela Associação Apontador de Estrelas de Chapecó e apoio do Espaço Astronomia Udesc Oeste. Busca proporcionar, para os entusiastas e apaixonados pela astronomia, informações sobre o que está acontecendo em nosso céu durante o mês. Serão informações simples e objetivas que necessitam de pouco ou nenhum conhecimento prévio em astronomia, de modo que qualquer pessoa poderá se maravilhar com os fenômenos e contemplar o céu. Desejamos a todos céus limpos!

A Lua – As principais fases da Lua ocorrerão nas seguintes datas:

06/09 – Lua Cheia
13/09 – Quarto Minguante
20/09 – Lua Nova
28/09 – Quarto Crescente

No amanhecer dos dias 14 a 18 e no anoitecer dos dias 21 a 26 será visível a luz cinérea da Lua (luz refletida pela parte escura da Lua devido a parte iluminada do planeta Terra).

Júpiter, o maior planeta do sistema solar, está se despedindo das noites desta temporada. Em setembro ainda será possível a sua visualização ao anoitecer, até por volta das 20 horas. Encontra-se na constelação de Virgem, bem a oeste. É o objeto mais brilhante do céu naquela região. Com um simples binóculo, é possível observar suas quatro principais luas (Calisto, Ganimedes, Io e Europa), cujas mudanças de posição são perceptíveis com poucas horas de observação.


Saturno, o planeta dos anéis, é visível ao anoitecer na constelação de Ofiúco, próximo as constelações de Escorpião e Sagitário, bem no alto do céu, ligeiramente a oeste, logo ao anoitecer. Está um pouco mais brilhante que a estrela Antares, de Escorpião. A visualização de detalhes do planeta, como seus anéis, só é possível com o uso de pequenos telescópios. Para localizar a constelação de Escorpião, vire-se para o sul e olhe diretamente para cima (Zenite), e siga neste alinhamento com o olhar um pouco para oeste até encontrar uma estrela mais brilhante na região e com um tom levemente avermelhado, esta é Antares, já na constelação de Escorpião. Seguindo um pouco para o sul poderá perceber algumas estrelas formando um sinal de interrogação invertido, ali seria a calda e o ferrão do escorpião. Está é uma constelação de grande interesse pois marca a região do centro de nossa galáxia, a Via Lactea. Ela está visível até próximo da meia-noite, quando se esconde no horizonte e dá lugar a Órion, neste instante nascendo a leste, outra constelação de fácil localização e rapidamente reconhecida pelas “Três Marias” (o cinturão de Órion). Enquanto Escorpião é mais visível durante o inverno, Órion se apresenta mais durante o verão.



Vênus, nosso vizinho mais próximo, ainda está visível no mês de setembro ao amanhecer, minutos antes do Sol aparecer. Devido ao seu brilho, ainda é possível ver Vênus mesmo após o amanhecer. Ele aparece por volta das 5 horas e, para contemplar todo o seu brilho, é necessário que se tenha o horizonte leste livre, pois ainda estará baixo no céu.

Marte, o planeta vermelho, começa a ser visível brevemente ao amanhecer, mas ainda é pouco brilhante. Mesmo assim é possível perceber seu tom avermelhado. Marte começa seu processo de aproximação com a Terra, sendo a máxima aproximação ocorrendo no início de agosto de 2018. Devido a sua distância, Marte tem sua observação bastante prejudicada mesmo para telescópios médios.

Mapa do céu no dia 15 de setembro às 20h:



Durante este mês teremos mais uma vez uma visitante ilustre passeando pelos céus de Chapecó. A Estação Espacial Internacional (ISS – International Space Station) passará pelo nosso céu, visível durante a noite, vinte e oito vezes, sendo que em cinco vezes se apresentará com características de altura no céu, brilho e tempo de trânsito para que a possamos contemplar, conforme segue:

14/09 – aparece às 19h02min e desaparece às 19h08min, com magnitude máxima (brilho aparente*) de -2,4, altura máxima no céu de 19°, de Sudoeste para Leste.
15/09 – aparece às 19h46min e desaparece às 19h51min, com magnitude máxima de -3,6, altura máxima no céu de 59°, de Sudoeste para Nordeste.
16/09 – aparece às 18h54min e desaparece às 19h02min, com magnitude máxima de -3,9, altura máxima de 53°, de Sudoeste para Nordeste.
18/09 – aparece às 18h46min e desaparece às 18h56min, com magnitude máxima de -2,6, altura máxima 42°, de Oeste para Nordeste.
30/09 – aparece às 05h02min e desaparece às 05h08min, com magnitude máxima de -4,1, altura máxima 84°, de Noroeste para Sudeste.

A aparição do dia 30 será a mais brilhante do mês, sendo num sábado, valendo a pena acordar cedo para apreciar o espetáculo.

* Com relação à magnitude aparente do objeto, quanto maior o número negativo, mais brilhante será o objeto.
             
Robert Magno
Associação Apontador de Estrelas - Chapecó

Referências:
Amorim, A. Anuário Astronômico Catarinense 2017. 1ed. Santa Catarina: 2016
Arnold Barmettler. Calsky. <http://www.calsky.com/cs.cgi>