sábado, 17 de junho de 2017

I Encontro de Ensino de Astronomia do Oeste Catarinense - ÚLTIMO DIA DE INSCRIÇÕES - VAGAS SOMENTE PARA O DIA 21 DE JULHO

A UDESC Oeste, através de seu programa de extensão Ciência Viva UDESC Oeste, e a Associação Apontador de Estrelas promoverão o I Encontro de Ensino de Astronomia do Oeste Catarinense nos dias 20 e 21 de julho de 2017.

O objetivo deste encontro é promover a capacitação de professores do ensino fundamental e médio da região oeste de Santa Catarina e aproximar estes de astrônomos profissionais, amadores e pesquisadores da área de Educação em Astronomia e apresentar métodos práticos de ensino de Astronomia. 

O público-alvo são os professores do ensino fundamental ou médio e alunos de licenciatura das áreas de pedagogia, ciências, geografia, física e ou matemática, ou qualquer professor que seja responsável pelo ensino dos conteúdos de astronomia nas escolas.

Esta formação ocorrerá através de mesa redonda e também de oficinas. Teremos ainda sessões do Planetário Digital Móvel UDESC Oeste e observação e identificação de objetos celestes a olho nu e através de telescópios.

Certificado (15 horas) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC Oeste).

Assessores
Prof. Dr. Rodolfo Langhi (UNESP/Bauru)
Msc.  André Luiz da Silva (CDCC/USP)
Dr. Eugênio Reis Neto (MAST)

A inscrição para o dia 20 de julho deverá ser feita através do link https://goo.gl/forms/K0VDNqyo1oR6ktLV2.

A inscrição para o dia 21 de julho deverá ser feita através do link https://goo.gl/forms/OazYeBv8qoj6FqwS2.

Local de realização: Campi da UDESC do centro e do bairro Santo Antônio - Chapecó

Programação (mesma nos dias 20 e 21):

8h00 – Mesa redonda “Concepções alternativas em Astronomia” - UDESC Centro
Prof. Dr. Rodolfo Langhi (UNESP/Bauru)
Msc.  André Luiz da Silva (CDCC/USP)
Dr. Eugênio Reis Neto (MAST)

9h30 – Intervalo

10h – Os participantes serão divididos em três grupos
Oficina 1 - Sistema Solar: características dos planetas, dimensões e órbitas
Oficina 2 - Sistema Sol-Terra-Lua: fases lunares, eclipses, rotação
Oficina 3 - Reconhecimento do céu: constelações e o que elas contém

11h30 – Intervalo

13h30 - UDESC Centro
 Oficina 1 - Sistema Solar: características dos planetas, dimensões e órbitas
Oficina 2 - Sistema Sol-Terra-Lua: fases lunares, eclipses, rotação
Oficina 3 - Reconhecimento do céu: constelações e o que elas contém

15h – Intervalo

16h - Oficina 1 - Sistema Solar: características dos planetas, dimensões e órbitas
Oficina 2 - Sistema Sol-Terra-Lua: fases lunares, eclipses, rotação
Oficina 3 - Reconhecimento do céu: constelações e o que elas contém

17h30 – Intervalo

19h – UDESC Santo Antônio
 Os participantes serão divididos em três grupos
Sessão do Planetário Digital Móvel – 1 hora
Observação do céu com o telescópio – 2 horas

22h – Encerramento

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Eclipses de fevereiro de 2017

Neste mês de fevereiro teremos a oportunidade de visualizar dois eclipses. No dia 10, sexta-feira, um eclipse penumbral da Lua e no dia 26, domingo de carnaval, um eclipse parcial do Sol.

Eclipses lunares ocorrem na Lua cheia, quando a Terra se coloca entre o Sol e a Lua iluminada. O eclipse lunar é total quando a Lua penetra inteiramente no cone de sombra (também chamado cone umbral) da Terra. Mas o cone umbral é concentricamente circundado pelo cone de penumbra (onde temos um tênue escurecimento do disco lunar). Assim, um eclipse lunar envolve um período de tempo em que a Lua está na penumbra e outro em que ela está na umbra. A fase mais interessante do fenômeno acontece quando a Lua está parcial ou totalmente dentro do cone umbral, visto que o obscurecimento da Lua pela penumbra é praticamente imperceptível. A Lua totalmente eclipsada assume diferentes tons laranja-avermelhados, devido ao espalhamento da luz solar, que atravessa a atmosfera terrestre.

O eclipse lunar que teremos neste mês será penumbral, ou seja, a Lua passará apenas pelo cone de penumbra. Desta forma, perceberemos um tênue escurecimento na parte do disco lunar mais próxima do cone umbral. Binóculos de pequeno aumento auxiliam na visualização. Também o uso de câmeras digitais pode ajudar na percepção e registro do fenômeno.

astro.if.ufrgs.br


misteriosdouniverso.net



Nesta noite, a Lua entrará no cone de penumbra por volta das 20h30min, logo após o nascer da Lua cheia, no horizonte leste. Entretanto, com o escurecimento da Lua num eclipse penumbral é muito tênue, a percepção visual se dará cerca de meia hora antes a meia hora após o horário do máximo eclipse, por volta das 22h45min. Desta forma, o melhor período para se perceber o escurecimento será das 22h15min às 23h15min.

Eclipses lunares são relativamente frequentes. Mais raros são os eclipses solares. E nesse mês de fevereiro seremos brindados com a possibilidade de visualizar um eclipse solar.

Os eclipses solares ocorrem quando a Lua nova se coloca entre a Terra e o Sol, produzindo uma sombra de cerca de 250 km de diâmetro que se desloca rapidamente sobre a superfície da Terra. Portanto um eclipse solar total só é visível, se o clima permitir, em uma estreita faixa sobre a Terra, chamada de caminho do eclipse. Em uma região de aproximadamente 3000 km de cada lado do caminho do eclipse, ocorre um eclipse parcial.

Se o disco inteiro do Sol está atrás da Lua, o eclipse é total. Caso contrário, é parcial. Se a Lua está próxima de seu apogeu (ponto mais distante de sua órbita), o diâmetro da Lua é menor que o do Sol, e ocorre um eclipse anular.

O eclipse do próximo domingo de carnaval é anular, ou seja, a Lua se colocará exatamente na frente do Sol e, estando com seu diâmetro aparente menor do que o do Sol, não o cobrirá totalmente, deixando passar um anel de luz ao seu redor. Entretanto, essa condição de visibilidade se dará apenas em regiões da Argentina, Chile e Angola, países onde passará o cone de sombra.

No Brasil e, em especial em Chapecó, veremos um eclipse parcial do Sol. A Lua cobrirá cerca de 55% do disco do Sol. Fenômeno deste tipo foi visto na nossa região pela última vez em 2007 e teremos uma nova oportunidade em 2020.

g1.globo.com

No próximo dia 26, domingo de carnaval, o disco da Lua começará a entrar na frente do disco do Sol por volta das 9h45min. O ponto máximo do eclipse será às 11h10min. O disco da Lua sairá totalmente da frente do disco do Sol por volta das 12h40min.

Preparem-se para ver esse belo fenômeno! Num eclipse parcial do Sol não temos o escurecimento do Sol que teríamos se fosse um eclipse total. Desta forma, muitas pessoas podem nem perceber que um fenômeno raro está em andamento. Entretanto, nunca olhe para o Sol diretamente sem uma proteção para os olhos. Um vidro de máscara de solda é uma boa alternativa. Não use óculos escuros, papel laminado, filmes antigos de fotografia ou chapas de raios X, pois esses materiais não filtram as radiações nocivas aos nossos olhos.


Nunca olhe o Sol diretamente através de um binóculo ou telescópio. É necessário usar um filtro especial para utilizar esses instrumentos. Caso não possua o filtro solar para instrumentos óticos, uma alternativa é fazer uma observação indireta, através da projeção da imagem em um anteparo.